Itens filtrados por data: Quarta, 08 Maio 2019

A gestão municipal tem trabalhado para aprimorar as políticas públicas voltadas para a criança e adolescente. Prova disso é que nesta quarta-feira (8/5), o prefeito Elinaldo Araújo, acompanhado da promotora da Infância e Juventude, Carla Andrade Barreto, foi ao Centro de Atenção à Saúde da Criança, que ofertará um novo serviço através de uma sala de acolhimento, proteção e cuidado a esse público.

Camaçari é a terceira cidade da Bahia a ofertar esse tipo de atendimento. O espaço é o resultado da preocupação do município em cumprir uma nova lei, que se chama Lei da Escuta Especializada e do Depoimento Especial. À frente desse serviço ficarão secretaria municipais, já que é intersetorial .

A promotora da Infância e Juventude da 3ª Promotoria de Justiça, Carla Andrade Barreto, destacou o processo. “A lei aborda um microssistema de garantias de direitos da criança e do adolescente. Esse local foi escolhido porque elas entram na unidade como pacientes do sistema de saúde, em proteção”.

O atendimento começa a partir da próxima segunda-feira (13/5), experimentalmente, às segundas e terças pela manhã, agendado pelo Conselho Tutelar, delegacias, escolas e unidades de saúde. O serviço funcionará dessa forma por um período de três meses e o que se espera é que seja ampliado para pronto atendimento.

O prefeito Elinaldo falou sobre a preocupação em cuidar dos jovens de Camaçari. “Criamos o Centro de Atenção à Saúde da Criança, para o atendimento especial. Estamos de maneira provisória arrumando o local aqui e, depois, vamos criar um Centro Integrado, que vai reunir todos os órgãos para acolher melhor essas crianças”.

Para criação do Centro Integrado de Defesa de Direitos da Criança e do Adolescente, já foi autorizada a busca pelo local adequado, que está sendo definido. Esse núcleo conterá polícia especializada para criança, os conselhos, membro da defensoria pública, juizado de menores e Vara da Infância.

Essa iniciativa soma mais pontos para que em 2020 Camaçari receba o selo Prefeito Amigo da Criança, que abre portas para conseguir recursos, seja do governo federal ou estadual, como do setor privado.

Estavam presentes a primeira-dama, Ivana Paula, a secretária de Desenvolvimento Social e Cidadania, Andréa Montenegro, a subsecretária de Relações Institucionais, Janete Ferreira, e a promotora de Saúde e Educação, Thiara Rusciolelli.

Publicado em Camaçari

Aconteceu na manhã desta quinta-feira (08/5), no auditório da Secretaria de Governo (Segov), o 1º Encontro Intersetorial sobre Saúde dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Secretaria de Saúde de Camaçari. O evento foi realizado pela Comissão Intersetorial em Saúde dos Trabalhadores e Trabalhadoras (CISTT).

Durante a atividade, foram apresentadas aos servidores as reais funções da Junta Médica, da GESMT (Gerência Especializada em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho) e do CEREST (Centro de Referência em Saúde do Trabalhador).

Coordenadora do CEREST, Luzineide Pereira explicou o motivo do evento. “Por falta de informação, os servidores não sabem quais são seus direitos e deveres junto a esses órgãos. Assim como não sabem o que compete a cada um deles. Por isso a CISTT, uma comissão que faz parte do Conselho Municipal de Saúde, realizou este encontro”.

Subsecretário de Saúde, Luiz Duplat participou da abertura do encontro e destacou a importância do mesmo. “Os servidores da Saúde estão expostos diariamente a várias situações de risco e vulnerabilidade. Um encontro como esse, onde eles foram orientados sobre seus direitos e deveres junto aos órgãos que cuidam de sua saúde no ambiente de trabalho, é muito importante”.

 

Publicado em Camaçari

O ministro da Economia, Paulo Guedes, voltou a defender nesta quarta-feira (8) a aprovação integral da reforma da Previdência (PEC 6/19). A economia prevista de R$ 1,236 trilhão em dez anos, disse o ministro, poderá assegurar o pagamento de aposentadorias e pensões para as futuras gerações, além de estimular o crescimento econômico.

Ele participou de audiência pública na comissão especial da Câmara que analisa a proposta do Executivo para mudanças nos regimes público e privado.

Para Guedes, o sistema brasileiro de repartição – em que os ativos pagam os benefícios dos inativos – está condenado e é “uma fábrica de privilégios”, em que os mais ricos são favorecidos em detrimento dos mais pobres. Em razão disso, ele afirmou que a proposta do Executivo permite a criação no País de um sistema de capitalização individual, para que, no futuro, cada trabalhador tenha uma conta com as contribuições para aposentadoria. “Uma poupança garantida”, assegurou.

Questionado por parlamentares que se opõem à proposta e afirmam que a capitalização é, na verdade, a privatização da Previdência Social, Guedes reiterou o que já havia dito na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) no mês passado, quando compareceu à Câmara para defender a reforma pela primeira vez. Segundo ele, se a economia prevista com a reforma cair abaixo de R$ 1 trilhão em dez anos, o sistema de capitalização deverá ser descartado.

Números do governo
Guedes chegou à comissão especial acompanhado do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que participou da parte inicial do debate. Coube ao secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, fazer uma apresentação sobre os números do governo. Apesar de defenderem reformas na Previdência, disse Marinho, nenhum dos quatro últimos presidentes (FHC, Lula, Dilma e Temer) abriu para análise do Congresso Nacional tantos dados e avaliações sobre o assunto.

Marinho afirmou que os pilares da reforma são o combate a privilégios e a busca da equidade, por meio da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6/19; o combate a fraudes, com a Medida Provisória 871/19; e a cobrança de dívidas previdenciárias, com o Projeto de Lei 1646/19, e o ajuste fiscal. O secretário não incluiu na lista a proposta de mudanças nas pensões militares (PL 1645/19).

A líder da Minoria na Câmara, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), criticou a estratégia do governo Bolsonaro de tentar vincular a eventual aprovação da reforma com a retomada da economia. “É uma mentira atrás da outra”, afirmou. “Por que não dizem que a reforma é para privatizar a Previdência Social?”, questionou. Como opções para estimular o crescimento, Feghali defendeu a discussão de outros temas, como reforma tributária e revisão do pacto federativo.

Discussões
O presidente da comissão especial, deputado Marcelo Ramos (PR-AM), precisou interferir em vários momentos da audiência pública para evitar bate-boca entre os deputados e Paulo Guedes, particularmente quando avaliações políticas contaminaram perguntas dos parlamentes e respostas do ministro. “Pode haver enfrentamento duro, desde que em torno da proposta”, afirmou Ramos.

O deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), relator na comissão especial, afirmou que o colegiado tem a oportunidade de fazer “um trabalho para valer” e manifestou preocupação com as contas da União. Segundo o governo, os gastos com aposentadorias, pensões e assistência social deverão representar juntos 64,8% do Orçamento deste ano, cerca de R$ 903 bilhões.

A comissão especial analisará o mérito, podendo modificar a proposta do Executivo, e 13 legendas manifestaram intenção de alterar o texto. O governo já admitiu que devem ser excluídas do texto as mudanças nas aposentadorias rurais e no Benefício Assistencial de Prestação Continuada (BPC), pago a idosos carentes. A aprovação no colegiado exigirá pelo menos 25 votos favoráveis.

Se aprovada na comissão especial, que pretende realizar mais nove audiências públicas até o final do mês, a reforma da Previdência será analisada pelo Plenário da Câmara. A aprovação exigirá pelo menos 308 votos, em dois turnos de votação. Caso isso aconteça, o texto seguirá para o Senado.

Mudanças
A Proposta de Emenda à Constituição 6/19 pretende alterar o sistema de Previdência Social para os trabalhadores do setor privado e para os servidores públicos de todos os Poderes e de todos os entes federados (União, estados e municípios). A idade mínima para aposentar será de 65 anos para os homens e 62 para as mulheres. Há regras de transição para os atuais contribuintes.

O texto retira da Constituição vários dispositivos que hoje regem a Previdência Social, transferindo a regulamentação para lei complementar. O objetivo, segundo o governo, é conter a diferença entre o que é arrecadado pelo sistema e o montante usado para pagar os benefícios. Em 2018, o déficit previdenciário total – setores privado e público mais militares – foi de R$ 264,4 bilhões.

 

(Por Agencia Brasil)

Publicado em Brasil

A menos de 10 quilômetros por hora, uma caixa com quase 70 toneladas desfila, fazendo história pelo Porto de Salvador. É uma das 24 naceles que – junto com outros 24 geradores e 24 hubs, para a produção de energia eólica – formam a primeira carga de equipamentos do tipo exportada pelo Porto de Salvador para os Estados Unidos. A operação iniciada anteontem deve ser concluída hoje, quando as 72 peças fabricadas pela GE Renewable Energy - Onshore Wind, em Camaçari, rumam para a cidade de Houston (Texas). 

Equipamentos foram estocados no pátio de triagem do Porto de Salvador

O embarque é o primeiro de um total de seis, que serão realizados até outubro, com a movimentação total de 80 peças de cada componente, que vão somar um valor total de aproximadamente R$ 600 milhões. Além da primeira exportação de cargas eólicas, de alto valor agregado para o mercado norte-americano, a operação atraiu, também de maneira inédita o navio Bahri Jeddan, de bandeira da Arábia Saudita, que nunca tinha atracado antes na América do Sul.

Por envolver uma carga de alto valor agregado, tamanhos e pesos fora dos padrões de operações portuárias, a operação é conhecida no meio portuário como o de embarque de cargas de projeto. Só a etapa portuária demandou 90 dias de planejamento, para garantir que o processo iniciado há mais de um ano, com a assinaturas de contratos e início de produção, seja bem sucedido desde a fábrica, em Camaçari, até o destino final, até o destino final, a 7,7 mil quilômetros de distância. 

O que ninguém quer ouvir no meio de uma movimentação de cargas desta magnitude é a famosa frase: “Houston, i have a problem”. 

“Nossa participação neste processo foi no sentido de mostrar que o Porto de Salvador tem toda a capacidade para dar conta de uma operação desta magnitude e com suas peculiaridades”, explica o o diretor de Gestão Comercial e de Desenvolvimento da Companhia das Docas do Estado da Bahia (Codeba), Fábio Luiz Lima de Freitas. Para ele, o maior sinal de que a operação foi bem sucedida é que 72 peças gigantescas cruzaram Salvador, rumo ao porto, sem chamar a atenção da cidade. 

Segundo o diretor da Codeba, o sucesso da operação é importante para literalmente mostrar ao mundo que a estrutura portuária baiana é capaz de movimentar cargas de projeto. A estimativa é que uma única operação do tipo equivalha à movimentação de seis mil contêineres. 

Nos últimos anos, o porto exportou cargas eólicas, através do Terminal de Conêineres (Tecon Salvador), operado pela Wilson Sons, para o Japão (2017/2018), Honduras e México (2018). O terminal foi a porta de entrada para 1.036 contêineres com equipamentos no ano passado, além de 6,1 mil toneladas em cargas soltas. 


Grande e sensível
O empresário Matheus Oliva, diretor da Intermarítima, empresa responsável pela operação da carga, destaca a simbologia da operação. “O Brasil, que é conhecido pela exportação de produtos primários, está enviando turbinas para os Estados Unidos. A Bahia está vendendo valor agregado, tecnologia, energia limpa, para a maior economia do mundo”, ressalta. 

Oliva explica que a complexidade da operação não se deve apenas às dimensões da carga. “É uma carga fora dos padrões de tamanho e peso, que é ao mesmo tempo sensível. Tem um design industrial específico”, explica. É o que se chama de mobilidade crítica. “Os equipamentos estão cheios de componentes eletrônicos e sistemas internos que não podem sofrer com o manuseio incorreto”, diz. “Cada uma vale R$ 5 milhões”. Os 30 anos de experiência da Intermarítima foram fundamentais, acredita o empresário. 

“O mais importante é que a Bahia mostra a sua vocação para o comércio exterior, apesar da aridez do momento. Pouca coisa está acontecendo, mas é possível fazer algo. Quando essa carga chegar lá, a origem dela é a Bahia”, comemora Matheus Oliva.

O vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico da Bahia, João Leão, destaca o interesse do estado em tornar operações do tipo mais constantes. “A Bahia lidera no número de parques em operação, lidera no cadastramento e na comercialização de projetos nos leilões e, além deste protagonismo nacional, temos uma indústria de componentes consolidada”, afirma. Segundo ele, o desafio agora é atrair para cá as grandes indústrias de subcomponentes, concentradas hoje nas regiões Sul e Sudeste do país. 


Planos para Camaçari
O diretor de Supply Chain da GE Renewable Energy - Onshore Wind para a América Latina, Brian Pitel, conta que o interesse da empresa é o de ampliar operações do tipo a partir da unidade em Camaçari. “Esta é uma operação muita representativa para a GE e inclusive estamos analisando alternativas que possam nos tornar ainda mais competitivos, permitindo ampliar oportunidades de novos negócios tanto no Brasil, quanto para novas exportações”, afirma. 

Atualmente, a planta industrial conta com cerca de 100 empregados diretos, além dos parceiros na região, que fornecem serviços de transporte, guindaste, armazém, manutenção e segurança.

Anteriormente, a GE havia realizado operações de exportação a partir de Camaçari para o Japão e a Europa. “No entanto, a operação atual representa um marco para a nossa empresa, pois é a primeira exportação da unidade para os Estados Unidos, além de ser a maior quantidade de aerogeradores já exportados pela GE diretamente de Camaçari”, explica.

O executivo da GE avalia que energia eólica como uma das “protagonistas do setor elétrico brasileiro”. A empresa projeta que a demanda por produtos do tipo deve continuar a crescer e faz planos de novos investimentos na unidade baiana. “Esses investimentos contemplam também a adequação da fábrica de Camaçari para produzir a maior turbina onshore da GE, a Cypress 5,3 megawatts (MW), que já está sendo comercializada no mercado”. 

As projeções são de que o país ultrapasse o patamar de 15 giwawatts em capacidade instalada a partir da energia eólica em breve.  “A GE está avaliando alternativas de investimento para ampliar sua capacidade produtiva e a cadeia de fornecimento local”, diz Pitel.  


Parque industrial
A Bahia possui o maior parque industrial de fabricantes de aerogeradores, com quase 60% do mercado brasileiro em capacidade produtiva. Estes fabricantes, também chamados de montadores, recebem partes e peças e realizam a integração do sistema. A montagem completa do aerogerador se dá no local de implantação do parque eólico, quando o cubo é acoplado à torre, as pás são fixadas na nacele e ambos são integrados em uma máquina completa.

Atualmente, mais de mil pessoas trabalham em empresas que fabricam equipamentos para a produção de energia eólica na Bahia.  

A diretora de desenvolvimento de negócios da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Lais Maciel, acredita que nos próximos anos o estado vai conseguir atrair mais fabricantes de componentes. Segundo ela, este processo estava em curso, mas retrocedeu por conta da ausência de novos leilões de energia nos últimos três anos. 

Com a expectativa de crescimento da economia nos próximos anos e a consequente alta na demanda por energia, Laís acredita em um cenário de crescimento na indústria de componentes. “O governo federal anunciou leilões de energia para os próximos três anos e em relação à transmissão, que é considerada um gargalo para o crescimento do setor, temos o cenário em que 50% dos projetos previstos para o país serão implantados na Bahia”, pondera.

Atualmente, a Bahia é líder no número de parques eólicos em operação no país e tem, sozinha, 31,8% dos novos projetos cadastrados para o setor no leilão que será realizado no próximo mês de junho. O estado se destaca pela qualidade dos ventos, constantes e unidirecionais, o que permite a produção de energia em mais da metade dos dias. São 156 parques eólicos implantados por 23 municípios baianos. 

Os seis maiores destaques são os municípios de Sento Sé, com 42 projetos e 964 MW de geração; Caetité, com 36 projetos e 777 MW; Igaporã com 31 projetos e 539 MW; Campo Formoso com 27 projetos e 683 MW; Morro do Chapéu com 24 projetos e 653MW; e Gentio do Ouro com 11 projetos e 246MW.

O presidente da consultoria Eoluz, Rafael Valverde, explica que o mercado de energia tem características globais.

Por outro lado, complementa: “Existem unidades industriais com alta competitividade e condições técnicas que só se encontram por aqui”. Além disso, Valverde aponta a desvalorização cambial como um fator que ajuda a tornar operações externas mais atrativas.

Publicado em Brasil

A Prefeitura de Camaçari, através da Secretaria de Desenvolvimento da Agricultura e Pesca (Sedap), executa mais uma ação de incentivo e fomento da agricultura familiar do município. A chegada da primeira remessa de cinco unidades de motocultivadores, chamados também de “tratoritos” ou mini tratores, promete trazer mais agilidade para a preparação das áreas de produtores rurais.

Capaz de arar e gradear a terra com um custo mais baixo e maior versatilidade, por se tratar de um equipamento capaz de desempenhar trabalhos em áreas pequenas, onde os próprios produtores irão utilizá-los, os motocultivadores sanam uma necessidade antiga dos agricultores familiares do município. Os equipamentos estarão à disposição das associações e entidades representativas rurais que demonstrarem interesse e apresentarem os requisitos necessários para permissão de uso.

Para o secretário da pasta, Antonio Falcão, essa nova investida da Sedap soma-se aos incentivos para a agricultura realizados pela gestão municipal. “É mais uma iniciativa da Secretaria, como foi a Casa de Farinha Móvel, que vem beneficiando muita gente na zona rural; como o trator que entregamos à população da zona rural de Monte Gordo; as três toneladas de sementes que distribuímos recentemente; as 10 feiras itinerantes instaladas em toda a cidade; além do nosso novo programa chamado Mais Agricultura, que vem pra garantir a compra direta destes produtos dos nossos agricultores. Então vemos com muita alegria e otimismo que nossa zona rural vem avançando. Sabemos que ainda falta muito a fazer, mas já podemos garantir que o avanço chegou”, afirmou o secretário.

As associações interessadas devem procurar a Coordenação de Agricultura da Sedap, sediada na Casa do Trabalho – Centro, ou através do telefone (71) 3622-7303.

Publicado em Camaçari

Dando continuidade aos trabalhos de pavimentação asfáltica em Monte Gordo, na Costa de Camaçari, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), executa nesta semana melhoramento, reconstrução e reforma do sistema viário da Rua Agrofolha e suas transversais.

A obra contempla o pavimento asfáltico de 540 metros de extensão. Na localidade, 1.080 metros quadrados de passeio já foram construídos. São ações, promovidas pela gestão municipal, que oferecem mais segurança e qualidade de vida, através de melhorias na infraestrutura e na mobilidade local.

De acordo com a Seinfra, as ruas Juvino, Guajirus e Alto da Liberdade são as próximas a receberem o asfalto. Na Rua Santarém e mais três transversais, as obras foram concluídas no início do mês de maio e os moradores já têm motivos para comemorar.

Publicado em Camaçari
O deputado Targino Machado (DEM) protocolou na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) o projeto de lei nº 23.284/2019, que dispõe sobre a obrigatoriedade da instalação de sinais sonoros para pedestres em todos os semáforos no Estado da Bahia. De acordo o parlamentar, os últimos 10 segundos antes de serem fechados devem ter seus sinais sonoros alterados, facilitando assim a travessia e promovendo maior segurança ao cidadão com deficiência visual. 
 
“Considerando que o trânsito, em condições seguras, é um direito de todos e dever dos órgãos competentes, a estes cabem, adotar mecanismos que sirvam de guia ou orientação para travessia na via pública de pessoas com deficiência visual ou com mobilidade reduzida”, afirmou o democrata. 
 
Vale ressaltar que no Brasil existem mais de 6,5 milhões de pessoas com deficiência visual, sendo 582 mil cegas e 6 milhões com baixa visão, segundo dados do Censo 2010, feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na Bahia aproximadamente 400.000 pessoas tem algum problema de deficiência visual, concluiu o parlamentar. 
Publicado em Bahia

A CBF alterou data do jogo entre Internacional e Vitória, válido pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino. A partida aconteceria no sábado (11), às 16h, e agora foi transferido para domingo (12), às 14h. O jogo segue no Estádio Universitário da PUCRS, em Porto Alegre (RS).

De acordo com a CBF, a mudança foi para atender a grade de programação da TV Band, detentora dos direitos de transmissão.

O Vitória tem sete pontos e ocupa a 10ª posição na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro.

Publicado em Esportes

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.149 da Mega-Sena, realizado às 20h (horário de Brasília) desta quarta (8) em São Paulo (SP). O prêmio acumulou.

Veja as dezenas sorteadas: 21 - 23 - 37 - 44 - 46 - 48.

A quina teve 496 acertadores; cada um levará R$ 35.200,20. Outros 32.880 apostadores acertaram a quadra; cada um receberá R$ 758,57.

O próximo concurso (2.150) será no sábado (11). O prêmio está acumulado em R$ 275 milhões.

Para apostar na Mega-Sena

As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país ou pela internet. A aposta mínima custa R$ 3,50.

Probabilidades

A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Publicado em Brasil

Donald Trump, quadragésimo quinto presidente dos Estados Unidos da América, informou na conta dele no Twitter, nesta quarta-feira (8/5), que após participar de um comício em Panama City Beach, na Flórida, estava voltando para Washington, D.C. com os senadores Rick Scott e Marco Rubio, discutindo os terríveis abusos de Nicolás Maduro.

No tweet, Trump afirmou que a América ficará do lado do povo venezuelano por quanto tempo for preciso.

Publicado em Mundo
Pagina 1 de 2

Grupo Fato Verdade. Sua verdade na web.

Informações de qualidade, sem firulas, sem achismo

Galeria de Fotos