O tiro no pé que faz “plim-plim” Destaque

20 Fev 2019
1050 vezes

Foi divulgado ontem (20/2), no canal do Jornal O Globo no Youtube um vídeo com uma conversa entre Jair Bolsonaro e o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

O vídeo abre com destaque para uma fala do presidente: “Se ele me cobrar estou f…“, dando ao expectador a impressão que testemunhará um grande crime, algum sórdido esquema de corrupção no qual o finalmente o mito será pego e a emissora encontrará redenção.

De fato ao se deparar com esta mensagem inicial, o choque é inevitável, a audiência pensa sim, sem nenhuma dúvida, que o herói do povo, eleito por 58 milhões de votos, finalmente cairá com a prova que promete ser fornecida nestes um minuto e quatro segundos.

O que o áudio divulgado ontem no canal da emissora no Youtube, prova afinal?

A jornada tem início por uma fala de Onyx Lorenzoni: “A Folha deu uma nota e o Antagonista acabou de reproduzir e ele (Bebianno) acabou de ligar e pediu pra tirar. Que é o seguinte… Que ele estava preparando documentos e não sei o que pra atacar.

Epa! Bebianno ligou pro Antagonista e “pediu pra tirar” uma matéria do site dos independentes jornalistas do Antagonista? Será que Onyx bebeu?! Oras, um jornalismo independente jamais faria algo do tipo. Jamais. Certo? Bem, o áudio está lá. Embriagado ou não, o ministro-chefe da Casa Civil disse.

Isto me lembrou por algum motivo, uma nota publicada pelo Antagonista há poucos dias com o título: “Eu sei que você manda no Antagonista. A nota foi pregada lá”, mas ninguém suponha que o Bebianno mandava em coisa alguma, isto seria conspiração de conspiracionista que vê conspirações conspiratórias em tudo. Coisa de maluco. Por que alguém suspeitaria de algo afinal? Coincidências acontecem, certo?!

Na sentença seguinte, será que o mesmo sacrossanto Bebianno que ocupou os microfones da Jovem Pan no dia anterior, injustiçado e tímido, o fiel escudeiro, acima de qualquer suspeita, estaria preparando documentos para atacar aquele que jurara defender e amar no palanque microfone concedido pelo veículo? Deve ser mentira do Onyx, este malvadão, ao dizer “Que ele estava preparando documentos e não sei o que pra atacar”. Bebianninho bonitinho não faria jamais uma atrocidade destas. Ou faria?

A seguir, Onyx dispara: “Ele disse ao Jorge: o que eu tinha para fazer, eu fiz ontem. Eu não dou mais nem uma palavra, acabou tudo ontem. Eu to te dando minha palavra. Ok?“.

Sim, o paladino da confiança, Bebianno, deu sua honrosíssima e valorosa palavra, que a esta altura deve estar valendo tanto quanto uma ação da Petrobrás no governo Dilma. Talvez seja o suficiente para comprar um chiclete Ploc inteiro. Oras, se um homem de confiança deste calibre deu sua palavra, é porque vai cumprir. Vai sim. E você leitor pare de rir, ele vai.

Mas continuemos esta jornada, porque o intrépido Onyx das linhas cruzadas prossegue: “Então, agora, no fim da tarde, pra tu saber, eu vou lá dar uma conversada com ele“.

Sim, mesmo com a palavra de Bebianno, Onyx precisava “dar uma conversada” com ele. Isso sim que é confiança. Pra saber, né?!

Mas aí chega a vez de Bolsonaro, que é mau como o Pica Pau, dizer: “Você vai conversar com ele sobre as ações?” e seu interlocutor, Onyx responder: “Eu vou conversar com ele sobre as ações“.

Mas esperem! Seria Bolsonaro um acionista escondendo o ouro? Teria ele ações de alguma empresa? Bens não declarados para enganar o trouxa do eleitorado, que errado teria votado, e no acionista acreditado? NÃO! Bem pior que isso. Bebianno, advogado, teria trabalhado na camaradagem como defensor do ingrato capitão que sequer um mísero ministério lhe quis manter, só porque ele vazou umas coisinhas bobas pra mídia.

Cuidado você também, se algum advogado lhe oferecer serviços por amizade, esteja preparado para dar-lhe pelo menos um quarto da sua casa pra ele morar, junto com sua família. Nada mais justo né? Você dormindo num quarto com sua esposa, na outra o advogado, afinal ele te defendeu numa ação e não quis receber. O mínimo que Bolsonaro deve a ele, é a alma. O capitão tá Bobianno, só pode.

E o presidente prossegue com sua fraudulosíssima afirmação que justifica o escândalo do poderoso áudio da emissora: “Se ele me cobrar individualmente o mínimo, eu to fudido. Tem que vender uma casa minha pra poder pagar“.

Olha lá! PEGOU! TÁ PEGO! TÁ AÍ! NO SEU NARIZ!

Mas o quê? Você deve estar se perguntando. As provas oras.

A prova de que Bolsonaro está… SEM DINHEIRO!

Não, pera.

Ele está com receio de ter que pagar um serviço e cogita vender um bem próprio! Bom era o Lula, cuja bondade atraia amigos que lhes dava sítios, tríplex, e coisas do tipo. A prova de que Bolsonaro é mau, é essa aí no seu focinho: ele não tem como pagar o serviço do bondoso advogado.

É que no fundo, o Brasil está acostumado com políticos que pagam suas dívidas pessoais com os bens do estado, desviando dinheiro da saúde, educação, segurança, etc. Como Jair pensa em vender seu próprio imóvel, isso soa estranho demais. Inaceitável.

Deixa eu acertar, deixa eu acertar.“, diz Onyx, que nem o botão de liga-desliga do celular anda acertando direito, para encerrar.

Pelo menos pra acertar as reformas, ele está acertando. Enquanto estiver assim, tá bom.

Vamos ao que interessa: o que a Globo provou? Provou que Bolsonaro não pretende pagar suas dívidas com dinheiro público, que pensa em pagá-las com seu próprio dinheiro, desfazendo-se de seus próprios bens, se necessário for. Não seria isso equivalente a dizer que ele é honesto não né?!

Mas uma dúvida cruel me inquieta: divulgar um áudio privado, uma gravação não autorizada, de um presidente da República, não é crime? Ou vale tudo?

Dias atrás uns míseros milhares de usuários de um tal de Twitter, disseram que a tal emissora seria a inimiga do povo usando um negócio de “rechitégui” que eu não entendo bem o que é. O próprio presidente disse que a Globo era inimiga… Por que será isso? Que implicância! Que absurdo…

Avalie este item
(0 votos)

Grupo Fato Verdade. Sua verdade na web.

Informações de qualidade, sem firulas, sem achismo

Galeria de Fotos